host

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

ADOLESCENTES FICAM HISTÉRICAS EM BUSCA DE MAISA.

"Ficamos com medo de que derrubassem o estande"
                                                               Foto: Divulgação Gogle

Portal Folha: "Um grande gritaria, a princípio sem causa aparente, tomou conta do Pavilhão do Anhembi, na tarde desta quarta-feira (31), onde acontece a Bienal do Livro, em frente ao estande da editora Autêntica.

Presa no meio de adolescentes em fúria, a reportagem da Folha tentava descobrir o motivo da confusão, que tinha até jovens em cima das gôndolas do estande, mas a maioria não sabia informar por que estava tão emocionada.

"É o Rezende Evil!", gritava uma menina.

"Não, é a Maju Trindade!", respondia um rapaz.

Um outro, que também não sabia o motivo de estar no meio da multidão, ainda chutou: "Já sei, é o Ferreira Gullar!" (o poeta acaba de lançar pela Autêntica sua "Autobiografia Poética" e há um banner com sua foto no espaço).

Só quando a reportagem, entre gritos de "perdi meu celular!", foi resgatada do meio da turba por alguém da editora foi possível descobrir o motivo do início da confusão: Maisa, do SBT, que, aos 14 anos, está lançando pelo selo Gutenberg "Sinceramente Maisa".

"Desce da gôndola!", pedia uma funcionária da editora a uma criança.

"Você está me assustando!", respondia o menino.

Maisa precisou ser escondida numa sala nos fundos do estande, e os bombeiros do Anhembi foram convocados para botar ordem na confusão.

"Me escondi aqui para não quebrarem a sala de vidro [onde originalmente seriam os autógrafos]", disse Maisa.

"Ficamos com medo de que derrubassem o estande", afirmou Rejane Dias, editora-executiva da Autêntica.

Uma funcionária chegou a ser espremida contra uma parede pela multidão e se queixava de quase ter quebrado o braço.

A sessão de autógrafos no estande foi cancelada e deve ocorrer em outro lugar do Anhembi. Para retirar Maisa do lugar, os bombeiros precisaram fingir que ela sairia por um lado, enganando a multidão, e então correr com ela para o outro.

Fonte: Folha 




Postar um comentário